Àgò ou Agô Não é Pedido de Desculpas!

Mo júbà gbogbo!! Mo júbà àwon àbúrò àti àwon ègbón!!

Àgò não é desculpas. Nem Agô com acento circunflexo. O idioma Yorùbá não possui alguns acentos que usamos no Português, Agô com acento está escrito em nosso idioma.

Àgò é uma palavra em Yorùbá que expressa um pedido de licença, dar passagem, espaço para algo passar ou alguém. Cuidado, “D’ágò” não significa “dar àgò” como alguns dicionários grafam por ai, criando uma mistura de Português e Yorùbá e no final dizendo que é Yorùbá.

Existe algo que chamo de “usucapião do erro”, é quando um termo é usado incorretamente por tanto tempo que acaba se tornando correto, como se descesse pela goela a seco e a força.


http://cursos.educayoruba.com/


Mas não pedido de licença a palavra é usada, como o idioma é cheio de homônimos, “Àgò” também significa “gaiola”.

Bem, mas continuando com o pedido de licença. Nas casas de Candomblé é tradição pedir “àgò” para entrar em determinadas áreas, para falar algo quando se corta uma conversa, quando vai se pegar algo de algum òrìṣà e usado de maneira incorreto quando se comete alguma falha e pede-se agô como desculpas.

Geralmente é assim:
Àgò onílé o! (Licença ao dono da casa!) – A pessoa pede antes de entrar.
Àgò yà! (Licença concedida) – Diz quem se encontra dentro do local.

Até ai, tudo perfeito. Mas nunca use “Àgò” para exprimir desculpas, há uma palavra para isso. Acredito que a falta de conhecimento do idioma Yorùbá por muitas pessoas, acabou fazendo que se usassem as palavras a torto e a direito sem cuidar do real significado e sentido delas.

E cuidado com as variações nas acentuações. Vejamos:

Àgò = licença, pedir licença;
Ago = copo;
Àgó = rato, roedor.

Ou seja, muito cuidado com este lindo e mágico idioma. Mas calma, ainda tem um mais pouquinho. Você deve estar com a dúvida: E como peço desculpas em Yorùbá???

Dárijì mi = Desculpa-me, perdoe-me
Dárijì = v. Perdoar.
Mi = pronome possessivo – meu/minha; pronome oblíquo – me.
.
.
(Parte integrante do Curso Introdução ao Idioma Yorùbá – Olùkọ́ Vander)

Comments
  1. Valdirene
    • Emerson Chemin
  2. louremberg

Deixe uma resposta para Valdirene Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *