Formas de Agradecer em Yorùbá – Indo além do A dúpẹ́!

Mo júbà gbogbo!

O idioma Yorùbá é complexo em suas possibilidades de uso. Nem sempre há apenas uma forma para no expressarmos, isso acontece principalmente na área de saudações, felicitações e pêsames.

É comum eu explicar sobre determinado assunto, bênção por exemplo, e os alunos virem me questionar que eles aprenderam de outra forma e qual seria o correto. Mas isso se deve ao fato de manterem-se presos às estruturas fixas, o que não ocorre com o Yorùbá, idioma muito plástico e expansível.

Nesta postagem iremos aprender formas de agradecer, indo além do famoso a dúpẹ́ ou mo dúpẹ́! Mas claro que esses serão explicados em por menores. Vamos aprender Yorùbá?

Mo dúpẹ́

Essa talvez seja a mais conhecida, sua tradução se faz de fácil explicação. Usaremos um pouquinho de gramática, por mais que muitos alunos acham que possam fugir dela para entender o idioma dos àwọn òrìṣà:

Mo = Eu (Forma reduzida, pois há também Èmi com mesmo significado);

Dúpẹ́ = verbo agradecer. É um verbo chamado de composto, pois nasce da união de + ọpẹ́, respectivamente “fazer algo” + “gratidão”.

Ou seja, é o ato de ser grato, de se mostrar grato. Ele sozinho significa: eu agradeço, mas podemos melhorar essa expressão.

Mo dúpẹ́ o/ Mo dúpẹ́ ẹ/ Mo dúpẹ́ gbogbo/ Mo dúpẹ́ fún gbogbo/ Mo dúpẹ́, bàbá mi/ Mo dúpẹ́, ìyá mi!

Essas construções acima nos mostram as possibilidades fora do que todos usam o tempo todo. Vejamos as traduções:

  • Mo dúpẹ́ o = Obrigado(a) a você;
  • Mo dúpẹ́ ẹ = Obrigado(a) a vocês;
  • Mo dúpẹ́ gbogbo = Obrigado(a) a todos;
  • Mo dúpẹ́ fún gbogbo = Obrigado(a) por tudo;
  • Mo dúpẹ́, bàbá mi = Obrigado(a), meu pai;
  • Mo dúpẹ́, ìyá mi =Obrigado(a), minha mãe.

Adúpẹ́ ou A dúpẹ́

Muitas pessoas usam essa expressão como se significasse, “eu agradeço” ou “obrigado”. Certo e errado. Há um dicionário “famoso” que grafa junto, o que é errado.

A = Nós, em sua forma reduzida. Normalmente é Àwa;

Dúpẹ́ = agradecer.

Se realmente conjugarmos o verbo, teremos: “nós agradecemos” e não “eu agradeço”. Mas pode ser usado como “eu agradeço em nome deles“, ou seja, como se estivesse agradecendo em nome de um grupo.


Ọpẹ́

Gratidão – Isso que significa. Mas aqui entramos em uma parte conceitual.

Gratidão é um substantivo, mas usado com a intenção de agradecer por algo. Inclusive você poder chegar até o igbá òrìṣà e dizer:

  • Ọpẹ́, bàbá mi/ ìyá mi! Ọpẹ́ fún ire gbogbo!! (Gratidão meu pai/ minha mãe! Gratidão por toda sorte!)

Digo conceitual pois há um grupo que critica uso dessas expressões que estão muito ligadas ao esoterismo, lei da atração, budismo e etc. OPINIÃO DELES!!!!!


Ẹ ṣe o!/ Ẹ ṣe é o!

De agora em diante começaremos a fazer uso de algumas expressões que se perdem no tempo e não tem como, por hora, ficar explicando a etimologia delas.

Sempre que faço uso dela, percebo que as pessoas ficam confusas e perguntam o que significa: Todas elas a mesma coisa, “Obrigado(a)!”.

Ẹ ṣe o! – Obrigado (Pronúncia: É XÊ Ô!)

Variações:

  • Ẹ ṣe gbogbo!! – Obrigado por tudo!
  • Ẹ ṣe é o!! – Obrigado!
  • Ẹ ṣe púpọ̀!! – Muito obrigado!


Ẹ ṣe gan!

Essa foi a primeira expressão que aprendi como obrigado, tirando Mo dúpẹ́. Estou falando dos idos de 2003. Um noviço no aprendizado do idioma dos àwon òrìsà!!!

Como o mesmo propósito das outras, visa tão somente agradecer por algo feito.

  • Ẹ ṣe gan!! – Obrigado! (Pronúncia: É XÊ GON!)


Ẹ ṣeun!

Mais uma estrutura estranha de explicar, porém presente em muitos cursos de Yorùbá pelo mundo. Possui a mesmo intenção: agradecer por algo feito!

Ẹ ṣeun! – Obrigado(a)! Pronúncia: É Xê UN!)

Note que em todos você pode fazer um incremento já aprendido, como por exemplo: gbogbo, fún gbogbo, púpọ̀, etc!!

  • Ẹ ṣeun púpọ̀ – Muito obrigado(a)!;
  • Ẹ ṣeun fún gbogbo – Obrigado(a) por tudo!;
  • Ẹ ṣeun gbogbo – Obrigado(a) a todos!

Kò tọ́pẹ́ o!

Finalizando com o famoso “não há de quê!“.

Sempre que alguém lhe agradecer por algo, não precisa ir ao lugar comum que todos dizem indiscriminadamente: àse! A expressão que melhor podemos usar neste caso é:

  • Kò tọ́pẹ́ o!/ Kò tọ́pẹ́! – Não há de quê!

Essa expressão ela ao pé da letra fica estranha, pois estou dizendo que “eu não fiz nada o suficiente para você ser grato”. Mas pode-se entender como: “não há necessidade disso!”.

= advérbio de negação, não;

= suficiente;

Ọpẹ́ = gratidão como aprendemos acima.

Há outras formas também de se dizer “não há de quê!” em Yorùbá, mas a postagem ficaria imensa e embolaria mais a cabeça do aprendiz!!

Finalizamos

E então espero que tenha gostado de aprender essas formas diferentes de dizer obrigado, indo muito além de mo dúpé ou a dúpé!

Quer aprender mais sobre o idioma mágico do Candomblé? O idioma do
òrìṣà, mas de uma maneira correta e sem misticismo? Conheça nosso cursos abaixo: Curso Fundamentos do Idioma Yorùbá! O que está incluso no curso:

  • Aulas em vídeos;
  • Apostilas em PDF com resumo das aulas;
  • Dicionário ao final do curso;
  • Técnicas de estudo melhorando o aprendizado do idioma;
  • Certificado ao final;
  • Retirada de dúvidas diretamente com o professor!!
http://eko.educayoruba.com/fundamentos-do-idioma-yoruba-oluko-vander/
Comments
  1. Marco Carvalho
    • Olùkó Vander
    • Alice Branco
  2. Hamilton Godinho

Deixe uma resposta para Marco Carvalho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *