7 Livros Sobre Candomblé Que Você Tem Que Ler.

O Candomblé em páginas – Conheça os Livros mais indicados para quem quer estar mais por dentro do culto aos Orixás – Òrìsà!

 

Candomblé Livros

 

Quem lê viaja – Já diz o ditado. E que tal você viajar para terra dos Òrìsà? Conhecer as batalhas de Ògún? Os romances de Sàngó? As peripécias de Èsù e seu humor sempre brincalhão? Muito bom né?

A Educa Yorùbá e o Olùkó Vander separaram alguns livros de leitura quase obrigatória para quem acompanha de dentro (iniciados) ou de fora (não iniciados, parentes, amantes da religião) o Candomblé, Umbanda ou Culto a Ifá. Leia sempre que puder e se já leu, sabe do que estamos falando.

 

 

Lista de Livros Sobre Candomblé e os Orixás (Òrìsà)

 

1 – O Nago e a Morte (Juana Elbein dos Santos)

Alguns consideram este livro como de leitura obrigatória dentro do culto afro. Apesar da linguagem muito acadêmica e da forma intelectual como o assunto é tratado, Juana Elbein, através de uma apurada pesquisa, expressa um profundo conhecimento sobre a morte dentro da cultura Yorùbá.

O livro ainda conta com uma dissecação a respeito dos simbolismos envolvendo o Òrìsà èsù (Orixá Exú), fala sobre a oralidade Yorùbá, o culto de Bàbá Ègungun e culto a Ifá.

Sem sombra de dúvidas um livro de leitura obrigatória e de cunho bem sério. O livro de Juana Elbein dos Santos foi apresentado como tese de doutorado em etnologia na Sorbonne. Muito forte!

 

2 – Òrun Àiyé – O Encontro de Dois Mundos (José Benistes)

Escrito por umas das pessoas que consideramos mais sábias e conhecedoras de cultura linguística e também ritualística dentro do Candomblé, o professor José Benistes faz um grande roteiro do que é o Candomblé e sua ligação com os outros diversos cultos afros.

O Candomblé não possui bíblia, mas com certeza um livro que todo pai de santo, mãe de santo, ògá, ekéjì, ìyáwo e todos mais que tenham ligação com o candomblé devem ler é Òrun Àiyé. Inclusive que nada sabe sobre a religião.

Muitos reclamam quando se expõem qualquer parte do culto ao público, mas neste livro o professor José Benistes conseguiu explicar o ritual de Borí e Ìpàdè com seus cânticos (orin) e rezas (àdúrà) de uma forma perfeita e harmoniosa. Leitura obrigatória, sem sombra de dúvidas.

 

3 – Elégùn – Iniciação ao Candomblé – Altair B. Oliveira 

Este livro já foi proibido de ser lido por quem não fosse feito. Já foi visto um zelador trancar ele em um cofre. Sim, este livro causou alvoroço no mundo do Candomblé. Dito antes que não é bem vista a prática de expor o culto pelos candomblecistas, neste livro está exposto todo o processo básico de uma feitura, uma iniciação ao santo.

O autor também conhecido como Altair T’Ògún foi duramente criticado e ainda o é hoje mesmo depois de falecido, depois de escrever preto no branco as práticas secretas do candomblé. Feitura de Ìyáwo, processo de iniciação de Ògá e Ekéjì… todos ali descritos em detalhes. Uso de materiais, orações e cantigas.

Como autor mesmo escreveu lá, o mundo do Candomblé é fechado até mesmo por dentro. As pessoas escondem conhecimentos e por vezes os vendem por preços altos (Hoje sabe-se que tem quem venda apostila de feitura por R$900,00).

Mas o livro é com certeza uma fonte de conhecimento cultural, ainda mais quando se sabe que cada casa conduz um processo de feitura diferente da outra. Leia e não se arrependerá.

 

 

4 – Mitologia dos Orixás – Reginaldo Prandi

Dentro do processo de pesquisa e escrita religiosa, há uma expressão que diz: de dentro ou de fora. De dentro, são escritores e pesquisadores que são iniciados. Verger começou de fora e no fim estava bem dentro. Reginaldo Prandi de fora, mas com forte conhecimento.

Reginaldo Prandi é um sociólogo, professor e escritor brasileiro. Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), escreveu outros livros sobre o Axé (àse). Mas neste ele dá uma visão bem detalhada de cada Òrìsà. São mais de 301 relatos da rica mitologia yorubana.

Muita coisa que espalham por ai de orixá (Òrìsà)vem desse livro. Um excelente material de enriquecimento cultural. A visão de alguém de fora com um olho mais clínico e imparcial.

 

 

5 – As Águas de Oxalá – José Beniste

Novamente ele, sim. Em ´As Águas de Oxalá´, o professro José Beniste retrata minuciosamente toda a dinâmica de um dos mais belos e longo rituais do candomblé, em que o branco domina integralmente os segmentos do terreiro, por ser a cor da pureza ética que simboliza o grande orixá Oxalá.

O conteúdo histórico da obra relata a organização do ritual praticado pela ancestralidade afro-descendente aqui radicadas: os primeiros momentos, os quais se utilizam do modelo prático do mito que ilustra a narrativa, são seguidos por uma seqüência de 17 dias, a mais longa da religiosidade afro-brasileira, tendo todos os seus cânticos e rezas entoados com as devidas explicações pelo autor.

Todo o cerimonial das Águas de Oxalá está integralmente descrito neste livro, de forma clara, com pormenores que enriquecem o conhecimento de iniciados e pesquisadores do assunto.
Os ritos de iniciação não poderiam também ficar de fora neste conjunto de análise, pois são determinados para uma participação intensa nos ritos. Este livro deve ser lido e estudado com o intuito de que o Candomblé se torne cada dia mais uma religião de significados inteligíveis e autenticamente brasileira.

 

 

6 – “Awô – O Mistério dos Orixás” – Giselle Cossard

Rico em detalhes. Um livro emocionante da tão querida francesa do Candomblé – Ìyálórìsà Omindarewafalecida em janeiro de 2016. Com certeza outro livro de leitura obrigatória e escrito por uma pessoa que teve contato com as maiores figuras do Candomblé e sempre respeitada por todos.

Filha de outra figura grande do Candomblé, Joãozinho da Goméiaela era a mistura perfeita para o Candomblé. Intelectual (era antropóloga) e atuante na religião (era zeladora de um ilè sempre ativo), mãe francesa como às vezes era carinhosamente chamada, nos brindou com este lindo escrito em 2007 que só enriquece a cultura do Candomblé.

 

 

7 – Orixas – Deuses Iorubas Na África e No Novo Mundo – Pierre Fatumbi Verger

Um nome sempre presente quando alguém quer dar autoridade ao que fala, Pierre Fatumbi Verger teve a oportunidade em épocas que não havia a facilidade de buscar informações pela internet, de estar cara a cara com os cultos que mais influenciaram o Candomblé aqui no Brasil.

De playbloy na frança a um fotógrafo e etnólogo autodidata francobrasileiro, até chegar a se tornar um Bàbáláwo, Verger embrenhou-se pela Nigéria e Benin retratando com sua câmera muitos rituais e cenas que nunca se viram antes. Imagens hoje imortalizadas e fáceis de se achar pela internet.

Quando hoje se reclama de algumas fotos de rituais, Pierre Fatumbi Verger transformou tudo isso em arte e ficou bem famoso por tal. Mas além de fotografar, Verger trouxe muita informação do além mar. A obra traz imagens, relatos e informações importantes para o culto ao Òrìsà. Deve ser com certeza lido e relido.

 

 

Conclusão:

Claro que ficaram de fora outras lindas obras literárias e seus autores. Não esquecemos de Roger Bastide, Sr. Agenor Miranda e tantos outros pesquisadores, Bàbálórìsà e Ìyálórìsà que contribuíram para a cultura literária do Candomblé.

Importante é sabermos que apesar da origem oral da religião, conhecimento deve sim ser buscado em livros, DVDs, filmes e apostilas. Claro que deve se respeitar uma série de coisas, porém a busca por conhecimento não deve ser vista com os olhos que às vezes é visto. Desde que com suas ressalvas e parcimônias .

Um não iniciado, ou novo no santo por exemplo, não deve pegar um livro sobre iniciação e sair fazendo santo na cabeça dos outros. Mas se até médico se baseia em livros para por em prática seu conhecimentos (Com devida assistência de mais experientes), temos que também dar abertura ao conhecimento compartilhado com pessoas que pesquisam e por vezes varam noites atrás de conhecimento, aprimorando cada vez mais o Candomblé e o Culto aos Orixás!!

O que você acha desses livros, seus autores? Já leu? Se leu, nos fale o que você acha aí nos comentários.

 

O dábò….

 

Comments
  1. Dilton Marinho Filho
    • Olùkó Vander
    • Olùkó Vander

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 Livros Sobre Candomblé Que Você Tem Que Ler.

O Candomblé em páginas - Conheça os Livros mais indicados para quem quer estar mais por dentro do culto aos Orixás - Òrìsà!     Quem lê viaja - Já diz o ditado. E que tal você viajar para terra dos Òrìsà? Conhecer as batalhas de Ògún? Os romances de Sàngó? As peripécias de Èsù e seu humor sempre brincalhão? Muito bom né? A Educa Yorùbá e o Olùkó Vander separaram